Sobre as possibilidades de vida...



 De uma hora pra outra, puts, a vida finda...E ela abriu os olhos, ainda tinha vida.Um filme passou pela sua mente , pensou em tudo que não tinha vivido, nas coisas não ditas, nos "foda-se" que nunca teve coragem de concretizar, nos erros, nos passos dados erroneamente... imaginou os muros que construiu, na tola  inocência de proteção( prisões eles se tornaram.) E ela, com sua mania de perfeição, julgou-se , " Como podia ter feito uma merda dessa"  Ela, coitada, que até então tinha mantido sua vida em comedias românticas.  ( como espectadora, claro.) Ela, em sua quase vida, quase amor, quase desamor... pq nunca teve coragem pra dar a cara pra bater e querer algo real. Intensidade? Coisa que ela nem sabia que existia, ate o simples fato, de a morte quase bater em sua cara... E ela gritou: " ACORDA, Alice!!! A vida é muito curta e qualquer hora dessa ela acaba." Mas, ai a pobre moça, pensou : Talvez o pior tipo de morte  seja  a morte em vida... Dessas vidinhas insossas.
E depois ... Ela resolveu mudar, deixou trás aquela melancolia toda. e resolveu viver, viver de verdade, meu bem!
Morrer é um cliche, já dizia Bial em um de seus textos sobre a morte.

E ela, hoje vive de pequenas loucuras e grandes intensidades. E dá vida... Ela deseja sombra, água fresca e um amor...
 O resto vem...  ESTAMOS VIVOS!

0 permitiram-se:

Postar um comentário

Entrem e fiquem avontade!
Coloquem aqui os seus devaneios e confissões...
BeijinhO,
Tami

 
©Suzanne Woolcott sw3740 Tema diseñado por: compartidisimo