"A paixão não morre pelo que se diz, mas sempre pelas palavras nunca ditas. Nada é mais deserto que o vazio da palavra que ficou por nascer. É preciso dizer amo-te quando se ama. Odeio-te quando se odeia. É preciso dizer todas as palavras, pois nenhuma palavra mata. A cada palavra pode-se acrescentar sempre outra palavra, e cada palavra é movimento, é fruto, é vida. Por isso, jurámos falar de tudo, mesmo tudo."
João Morgado (Diário dos Infiéis)

0 permitiram-se:

Postar um comentário

Entrem e fiquem avontade!
Coloquem aqui os seus devaneios e confissões...
BeijinhO,
Tami

 
©Suzanne Woolcott sw3740 Tema diseñado por: compartidisimo