Porque fazemos nossas lacunas não do tamanho das nossas falhas, mas do tamanho das arestas do Outro. E onde parece haver um ato de total coragem, pode apenas ser a nossa mais pura covardia. Ou vice-verso.
Porque a nossa aparente generosidade, pode somente dar a dimensão do nosso egoísmo, da necessidade de manipulação e senso de autoimportância.
Porque descobrir que quem te ama não precisa de você, tinha que ser bom, mas o ego só deixa doer.
Porque onde sobra amor pelo Outro pode, simplesmente, ser a falta do mesmo… por nós mesmos.

(Na maioria das vezes, quando alguém nos abandona, é porque já fomos embora de nós).

0 permitiram-se:

Postar um comentário

Entrem e fiquem avontade!
Coloquem aqui os seus devaneios e confissões...
BeijinhO,
Tami

 
©Suzanne Woolcott sw3740 Tema diseñado por: compartidisimo