(...)Não pude te esperar: estava morrendo de cansaço.Estava cansada de esperar uma eternidade por alguém que não ia chegar pra ficar definitivo, nunca.  Estava cansada das ausências, dos barulhos ensurdecedores que escutava todos os dias. Estou cansada ainda. Mas agora, não me sinto culpada. A culpa é um dos piores sentimentos que alguém possa sentir. Eu sei que você não vai entender agora, nem eu entendo. Mas segue por favor. Siga com a certeza que você sempre será uma das melhores e mais especiais pessoas da minha vida. Assim no plural, porque você é plural, e tão genuíno. Eu sempre acreditei que amores assim só seriam possíveis nos romances que li pela vida, mas não, você veio e  me mostrou ser real, aquilo que sempre acreditei ser fantasia. Queríamos tanto salvar um ao outro. E salvamos, ou nós afogamos mais? Nunca saberemos. Mas, uma certeza teremos. Foi verdadeiro tudo que vivemos. Foi tão ... Foi tão enorme e tão , sem palavras pra descrever.  Fica o silêncio e várias lembranças boas. Até do que não fizemos. O sorvete que não tomamos, porque a necessidade de ficarmos nus, era mais urgente. O por-do-sol , a missa, e tudo que nunca tivemos tempo. 
Um  abraço apertado e olhos cheios de lágrimas foi o nosso adeus. 

0 permitiram-se:

Postar um comentário

Entrem e fiquem avontade!
Coloquem aqui os seus devaneios e confissões...
BeijinhO,
Tami

 
©Suzanne Woolcott sw3740 Tema diseñado por: compartidisimo