E nos tivemos: intensos, inteiros, eternos. Nos guardamos na troca de fluidos, lágrimas, dialetos tantos, e outra língua da mesma forma falada. 
Porque depois, éramos dois em nossos oceanos distintos.
Porque depois, a nossa morada era a mesma concha acústica particular, peculiar para os nossos pedidos, pensamentos secretos, desejos por realizar...

(E essa saudade ancorada).

Marla de Queiroz

0 permitiram-se:

Postar um comentário

Entrem e fiquem avontade!
Coloquem aqui os seus devaneios e confissões...
BeijinhO,
Tami

 
©Suzanne Woolcott sw3740 Tema diseñado por: compartidisimo