Ontem sonhei com você. Foi um desses sonhos onde a gente só lembra da cena que durou dois segundos e o resto é um borrão perdido. Sonhei que eu escolhia você e em seguida, te abraçava. Foi bom, acordei com uma sensação de que realmente havia dado esse abraço, que lá na terra do encantado durou tanto tempo...foi como se tivéssemos passado um dia inteiro abraçados. Só durou dois segundos, de fato.O nosso tempo talvez tenha sido mesmo apenas esses míseros segundos. Rimos pouco, falamos pouco, compartilhamos muito pouco um com o outro nossos sonhos e decepções. Justificamos nossas faltas culpando o tempo,mas na verdade, nos consideramos pouco demais um para o outro. E acordamos. Vi num filme, certa vez, que a percepção do tempo quando estamos sonhando é relativa, não lembro bem,mas três minutos dormindo equivaleriam a uma hora de sonho. Por aí. Taí nossa explicação esfarrapada para a importância do que vivemos juntos. Foi um sonho e apesar de ter durado pouco, teve seu quê de eterno, como no soneto. Não me peça para aceitar conformada o fato de uma hora precisar abrir os olhos e arrumar a cama, eu sou uma sonâmbula constante, por escolha própria decidi estar mais dentro dos meus sonhos malucos, estilo filme hollywoodiano,do que na realidade tristonha e complicada dos dias de sempre. Na hora que a realidade for boa, acordo um pouquinho pra curti-la. Covardia não, auto-preservação.Sinto falta de você, e não me dá medo falar sobre isso, não. Sinto tanto sua falta que nem onde você passou a estar proibido de aparecer, surgiu: justamente nos meus mais íntimos e obscuros devaneios inconscientes. Tudo bem, lá não é um lugar onde eu tenha muito poder de decisão. Tinha tanto pra te dizer, pra gritar, pra reclamar, pra declarar,pra chorar. Tinha muito beijos e formas diferentes de subornar outros beijos, tinha vários tipos de abraços e algumas combinações de beijos e abraços que só eu sei fazer. Tinha muitas palavrinhas melosas guardadas, muitas bobagens e piadas também. Selecionei tanto de mim pra você, tantas coisas que julgo salvas dentro de mim. Nem são muitas,mas são tantas... Nada disso eu te apresentei, e eu lamento muito por isso
Texto do blog: Vômitos emocionais

0 permitiram-se:

Postar um comentário

Entrem e fiquem avontade!
Coloquem aqui os seus devaneios e confissões...
BeijinhO,
Tami

 
©Suzanne Woolcott sw3740 Tema diseñado por: compartidisimo