Fiquei pensando: e se a gente pudesse voltar no tempo e refazer as coisas? Não sou o tipo de gente que levanta a bandeira do "a gente só deve se arrepender do que não fez". Tem muita coisa que eu fiz e me arrependo, sim. Já fiz muita cagada nesta vida. De algumas coisas, sinceramente, me envergonho. De outras, me perdoo. 
Não dá pra passar anos se culpando por uma decisão errada. Acho que é melhor tentar e se estrepar do que ficar pensando ai-e-se-eu-tivesse-feito? É bem verdade que não fiz exatamente tudo que queria. Sabe como é, tudo tem limite. Inclusive as nossas vontades. Não dá pra chutar o balde e resolver fazer a linha rebelde sem (ou com) causa.
Carregar uma culpa nas costas pode causar problema de coluna ou câncer. E eu quero viver muito (e bem). Não acho certo ficar remoendo as coisas. Se não deu certo, paciência. Se deu, ótimo, aproveita, relaxa e goza. 
Acho que tentar é importante. Errar e acertar faz parte do processo de autoconhecimento e aprendizado. Muitas vezes a gente nem valoriza o que vem fácil. Mas o que é suado, o que dá trabalho, o que tira o sono e depois é celebrado tem um gostinho muito melhor. O sabor é outro, a degustação é mais prazerosa.
Talvez eu nunca perca esse meu jeito de acreditar e de tentar. E talvez eu nunca deixe de ser uma sonhadora, pois apesar de já ter tido o meu coração partido em pedaços miúdos, sigo me doando. Não me importo, sou do time que torce para o amor, por mais cafona que isso seja. É por isso que sigo me doendo.
Clarissa Corrêa 


0 permitiram-se:

Postar um comentário

Entrem e fiquem avontade!
Coloquem aqui os seus devaneios e confissões...
BeijinhO,
Tami

 
©Suzanne Woolcott sw3740 Tema diseñado por: compartidisimo